PREGNANCY

miss my belly already

Jun 26, 2013 teamgunn

A melhor coisa que fiz na minha vida foi ajudar a trazer o Pedro ao mundo (ver aqui)! Um momento único, pessoal e muito emotivo. Apaixonei-me pelo Pedro no primeiro instante, ainda ele estava com o cordão umbilical ao pescoço. Não, não fiquei assustada. A equipa do bloco de partos foi excepcional, manteve-me sempre a par do que se estava a passar tranquilizando-me e orientado-me para a próxima etapa. Lembro-me por exemplo da forma carinhosa como a obstetra me tratava – ‘Verinha, força Verinha’. Aproveito este momento para deixar um agradecimento especial a toda a equipa do bloco de partos e maternidade, desde médicos a enfermeiros e auxiliares. Obrigado!

Adorei a experiência do parto e já com o Pedro no colo a minha reacção foi: ‘não me importava de ter já outro’. 🙂 Loucura, eu sei. Mas foi o que me saiu! O parto não é um bicho papão como muitas de nós mulheres imaginamos. No meu caso e só posso falar da minha experiência pois entendo que há muitas condicionantes à volta do parto que podem influenciar o seu processo, foi doloroso sim mas suportável. Não foram dores que levassem à loucura 🙂 e quando a intensidade estava já num nivel mais acentuado  vem a famosa epidural para nos salvar. Continua-se a sentir as contracções (necessárias para sabermos quando devemos fazer força e ajudar o nosso filhote a nascer) mas com muito menos dor.  Neste momento tudo fica mais tranquilo e calmo… até que chega a hora da verdade. ‘Ora experimente puxar Verinha’. E bastou um puxão quando a enfermeira parteira nos diz: ‘já se vê a cabecinha dele…é careca!’ em 5 minutos a sala fica aperaltada de gente, médicos e mais médicos, enfermeiros e mais enferimeiros… tão rápido… ‘puxa verinha… força… respira’. Em cada puxada sentia-se a emoção contagiante naquela sala, vivia-se alegria! Um ser estava a nascer. Era o nosso filho. A certa altura deixo de ouvir tudo e todos e só me concentro na força que tinha de fazer, sinto alguem apertar-me o nariz como que a dizer-me respira, respira… e de repente alguém diz: ‘olha para baixo Verinha olha’, aí estava ele. O Pedro!

Intenso, emotivo, apaixonante!

Tenho o Pedro comigo e estou completamente apaixonada por ele. Mas também já sinto falta da minha barriga. Estas fotos foram tiradas com 38 semanas e barriga já estava bem descida e bem pesada! Acordava cheia de energia, pronta para mais um dia de trabalho e a manhã corria geralmente sobre rodas. Mais devagar e tal, menos fôlego mas tranquila e sempre enérgica. Já a meio da tarde a coisa começava a complicar :P, a barriga pesava, as pernas ficavam cansadas e as dores lombares davam o ar da sua graça. Nada que não se tolerasse e nada que não passasse com uma meia horinha de descanso. A soneca da tarde era um bem precioso …eheheh! Estavamos em contagem decrescente.

Tudo isto só foi possível com o amor do Jô e o contributo muito especial da madrinha Joana (kininha) e da Danistar! <3

 

IMG_1546IMG_1544IMG_1541IMG_1540IMG_1537

IMG_1547

vestido / dress – asos

sandálias / sandals – zara

carteira / bag – bimba & lola

óculos de sol / sunglasses – ray-ban

Beijinhos Beguinha & Kininha