LIFE LIFESTYLE

Não me digam que sou blogger

Nov 05, 2017 teamgunn

Não sou blogger.
Deveria considerar-me blogger?

Começo por dizer que respeito imenso quem faz do blog o seu meio de sustento financeiro.
Não é de todo fácil documentares todos os teus passos do dia a dia. Não é fácil criar conteúdo para tornar todos os registos diários (3 diários) minimamente interessantes para que as pessoas queiram continuar ligadas e a seguir.

Quando criei (criámos) um blog, que entretanto passou para site – mais bonito e organizado (não fosse a Vera a senhora da organização que mantém isto sempre em ordem e no lugar) – o intuito sempre foi a partilha. Houve dias e continuará a existir, do depositar e despejar de sentimentos que nos arrebatam e arrasam. Sempre houve a pergunta de “onde compraste isto?”.  Ou “o que aconselhas a usar” e como nunca fomos de esconder, nada melhor que partilhar de uma forma mais alargada (principalmente para as pessoas mais tímidas que querem sempre saber mas sem perguntar ).

Durante estes 9 anos vivemos e partilhámos todo o nosso crescimento que passou de miúdas que adoravam moda, até se formarem mulheres que vivem e trabalham em moda. Crescemos, constituímos famílias, separamos, mudamos de profissões e vem um novo membro que já participa de forma tímida na barriga da Vera (ele não é muito tímido, pois se repararem bem nas historias que a vera partilha, este menino não pára de mexer).

Isto tudo para vos dizer que choramos e rimos. Trabalhamos muito, mas também gozamos muito (work hard play harder).
A vida não é perfeita e estamos sempre prontas para a próxima batalha. E adoramos conhecer pessoas novas.

Conhecer, falar, conviver, divertir, dançar enfim… estar numa mesa, rodeada de pessoas e simplesmente partilhar de forma mais directa, o que aqui partilhamos convosco. Eu sou a mais tímida, a Vers é sempre mais vocal, mas converso sempre com quem quer conversar.

Já me tinham falado que bloggers só falam de blogs, que vivem obcecadas com números e visitas e ofertas (sim, também gosto de ver números, mas gosto mais de entender que tipo de público é que alcanço) mas quando estamos em público, deixamos de estar com as outras pessoas para nos dedicarmos a uma realidade que a meu ver acaba por ser fictício.
Com isto quero dizer que lamento quem tenha um blog e que viva dele, se esqueça de viver fora dele. O sumo que extraímos da vida torna-se muito mais belo e enriquecido para o blog se o soubermos preparar primeiro, beber e apreciar.
Recentemente tenho conhecido pessoas interessantes, com vidas capazes de brilhar blogs, e tenho conhecido pessoas de blogs que me desinteressam pela falta de narrativa.
Respeito quem sabe viver, partilhar e ainda ganhar dinheiro com isso. Não há nada melhor desta vida do que fazermos o que gostamos e ainda ganharmos dinheiro com isso, certo?
Prazeres da vida!

 

 

TGLenha-9
TGLenha-7

TGLenha-10

TGLenha-6

TGLenha-5

TGLenha-4TGLenha-3TGLenha-2